Latino quer provar ser compositor e prepara disco autoral

“Um autor, primeiro, é assunto. Mas a glória, mesmo, é quando ele vira falta de assunto.” Mario Quintana

Latino.jpg

Há, para toda sorte de “aproveitadores”, uma recepção específica. O cantor Latino, que agora se sai com essa de lançar “disco autoral”, é peça figurativa, quase caricatural, no cenário da música pop brasileira. O nicho pelo qual caminha está bem traçado. É um produto massivo da indústria, até outro tempo, altamente lucrativa. O que revigora a permanência do cantor nesse meio de reciclagem, provavelmente, é o ridículo dos gestos.

Existe sempre algo de cômico em Latino, o que espanta a antipatia e lhe denota aquilo que chamamos “carisma”. Tal característica é inegável em sua personagem, assim como a baixíssima qualidade do repertório, se o olharmos do ponto estritamente artístico, cultural, de estilo. É, no entanto, sucesso de entretenimento. As recentes patacoadas protagonizadas, como a expulsão do Youtube e o “roubo” da música de Psy, alicerçam os argumentos.

Evidentemente que, quando o talento é escasso, ou inexistente, as chantagens, as jogadas, as tentativas para se manter na mídia, vão, aos poucos ou rapidamente, chegando ao fim. Aproveitar a onda que passa é para alguns, surfar em qualquer delas, requer ainda menos escrúpulos e cuidados com a carreira. Tornando-se boneco, manequim, artigo em desuso de loja promocional, Latino é capaz de proferir absurdos ou vender o apartamento.

Não bastasse entoar os hits da época áurea do axé, como “Me Leva”, ele agora enrola os braços ao redor do inesgotável, e praticamente invisível, universo mercantilista. Para “provar ser compositor” promete lançar um disco 100% autoral. Não era necessária urgente medida. Provocaram o palhaço da côrte. E ele agora pretende arrancar as risadas do Rei, entediado e banguela, cuja coroa sem viço sobre a calva cabeça, faz reluzir como ouro o gasto enigma.

Latino-autoral.jpg

Raphael Vidigal

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

12 Comentários

  • Adorei a associação: LATINO = BOBO DA CÔRTE

    hauahuahauhauahauhauahuahauah

    Resposta
  • “Para “provar ser compositor” promete lançar um disco 100% autoral. Não era necessária urgente medida. Provocaram o palhaço da côrte. E ele agora pretende arrancar as risadas do Rei, entediado e banguela, cuja coroa sem viço sobre a calva cabeça, faz reluzir como ouro o gasto enigma.“ Gente, pelo amor de Deus! Devemos impedi-lo! imagine o desastre que esta por vir! Um monte de musicas monossilabicas ou se tivermos sorte, dissilabicas, de facil e estupida coreografia (muito provavelmente por ele criada) que vai fazer que grande parte das inocentes criancinhas brasileiras juntem-se em rodinhas de 4 pessoas, dancando ate o chao. Tomara Deus que essas mesmas criancinhas capazes de dancar em rodinhas (estilo orgia) nao engravidem antes dos 18 e que sejam capazes de terminar o ensino medio no tempo regular. uahuahuahuahuahua

    Resposta
  • Vixxxxxxee…

    O cara é ruim mesmo. A galera do Funk e AXE faz “Sucesso” com musicas de apenas uma Frase ou uma palavra.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com