Crítica: Exposição “Barroco – Brasil / Itália – Prata e Ouro”, exibe martírio na forma de beleza

“Para trazer ao feno
o senso da escultura,
concentro-me: sou boi.” Carlos Drummond de Andrade

prata-ouro-brasil-italia

Os românticos já choravam, os hebreus já choravam e os barrocos também. Por trás dessa ideia de sofrimento a redenção como combustível para a esperança humana. No caso da exposição “Barroco – Brasil / Itália – Prata e Ouro” oferecida pela Casa Fiat de Cultura em Belo Horizonte, ocorre uma divisão entre a arte dos napolitanos, talhada com o primeiro material, e a dos homens das Minas Gerais, com a madeira e o segundo. Além de exibirem figuras santas, deixam clara a capacidade artística de extrair do martírio o belo, e talvez nisso a chave para suportar as idiossincrasias da vida e do universo.

Embora os curadores afirmem que o material é mero contingente na construção desta arte tão antiga quanto tecnológica, a de esculpir, a sensação de se deparar com uma figura humana de prata raramente alcança o calor das de madeira. Se a frieza talvez seja obra dos italianos é inegável a capacidade do gênio de Aleijadinho para aproximar-se da mão de Deus na arte barroca de sugerir olhos, bocas, mãos, tato, visão, sede e paladar. Talvez falte ao criador supremo alguma falta que sobre em Aleijadinho, grande destaque da edição. Mestre de Piranga e Alfredo Ceschiatti acrescentam com obras de impacto.

exposicao-casa-fiat-cultura

Raphael Vidigal

Imagens: “Sant’Ana Mestra”, escultura de Aleijadinho; e “San Domenico”, escultura de Giuseppe Sanmartino, respectivamente.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Email

Comentários pelo Facebook

14 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

[xyz-ips snippet="facecometarios"]