Waldick Soriano: o homem do povo

“Assim eu quereria o meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas” Manuel Bandeira

Waldick-Soriano-sucessos

O preconceito não é coisa do povo não. Cordial e hospitaleiro com o cachorro e o dono. O povo na verdade gosta de ser feliz. E cantar. É, é isso mesmo. Natural, não é? Querer ser feliz, e cantar, e agradar quem lhe concede essas benesses. Por isso o povo não se furta em estender tapetes que não sejam vermelhos, mas das cores daquela casa, se for a Bahia, cores de orixás, cores do mar, cor de palha do cigarro que cospe a fumaça.

Um cantor é, pois, alegria do povo. Mesmo que eu fale rebuscado e entorte as palavras, eles, que interessam, entenderão o sentido quando o cantor desengaiolar da garganta os pássaros que vivem dentro dela. Imitas Durango Kid, com os óculos escuros e vestimenta preta, sobrevive fora da tela o cinema falado cruel. E Bienvenido Granda, o cubano, é inspiração.

Até é verdade que se inventaram ciências, dicionários, equações matemáticas, mas a conta do menino pobre para comprar um doce, a dúvida do marido traído em relação à fidelidade da esposa, a letra que calça o alfabeto da moça singela ao pedir pro santo um amor eterno, as dispensam. Não foi ainda possível superar o belo, bonito, generoso, amor. Centenas de dólares não os compram, centelhas divinas impedem a humanidade completa. Pois no homem, o mais bonito é decerto, o que não o conhece, no entanto sente.

Waldick Soriano, um homem genuíno, da roça, gente da gente, peão, motorista de caminhão, garimpeiro, engraxate, detentor de uma voz que ofereceu aos homens e a Deus, cantando para viver, viveu cantando as agruras, tormentas de amor, ah, vida esta de cachorro, romântico inveterado, que lhe afague a nuca uma mão carinhosa.

Waldick-Soriano

Raphael Vidigal

Lido na rádio Itatiaia por Acir Antão em 19/05/2013.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

13 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com