Um único lance de dados

Poesia é um jogo onde o perdedor ganha tudo.” Jean-Luc Godard

Pintura revela genialidade de Pablo Picasso

Exijo um honrado fim. Mas ele não vem, ele não vem, ele não vem… Somente os três pontinhos, pontilhados, como farelos de polvilho… Exijo um honrado fim. Sim, exijo. Como o Rei, exijo uma roupa nova… E me vestiram nu, e debocharam da inteligência humana… Sou o Rei… Na roupa espetaculosa… A desfilar nas folhas deste livro… Inacabado… Espero os aplausos, que me recebam de braços erguidos, flores, em trapos… Gritem, urrem, se joguem na lama… Ergam vivas e salves… Admirem-me a elegância e o fluir das linhas a costurar a roupa desse Rei pelado… Sobre as palavras desrespeitarem… Ah, sobre as palavras desrespeitarem…

Encrenca, só pode dar em encrenca, mania esta de querer puxá-las à ordem como o esbelto cavalo. Obedece o cavalo… Ah, obedece o cavalo… Sutil engano… O cavalo apenas se cansa de conduzir o homem para o convés do barco, e então… Segue o caminho das patas, dos cascos, da sorte na ferradura para o ser humano, desde que concilie a ela um trevo de quatro folhas. Palavras terrenas soterram: responsáveis pela esperança e descrença humana. Jamais descansam: falamos: repetimos: pensamos em: palavras. E onde estão as palavras quando nós mais precisamos? As palavras que nos faltam… As palavras: exatas?

Incompreensão das palavras, inexatidão das palavras, num mundo intolerante, as palavras: afastas? Nefastas… Nefastas palavras… Em rebelião se unem para dizer o óbvio quando o teu desejo é propor um enigma… Juntá-las em comunhão de bens para espargir os males… E as palavras são: óbvias. Ou seria o enigma óbvio? Irrompem: à pendenga do escorpião. O veneno está no rabo. Crê nas palavras? Não creia. Vem às palavras? Não venha. Vá. Corra. As pegue pelo calcanhar. Pise. Cuspa. Passe o creme pastoso da vaca. O leite, ainda pastoso da vaca, o esterco, o pasto pastoso das vacas. Às palavras: jamais respeitá-las. Dê a elas o seu melhor: o desprezo. Numa recíproca relação.

Desisto. Desisti. Travo uma batalha campal com meus oponentes. Os dias passam depressa. Os objetivos estão pregados, inertes. Nada se resolve neste livro, não me venha julgar de inacabado, protesto: propósito. Ou: o livro das cem páginas dispõe de seus compromissos com a realidade. (brame a realidade) Ou: Os dez passos faltantes para os processos da Música. Essa história arrastada veio como correntes. Como correntes desprego-as: num único lance de dados.

Picasso é considerado o maior pintor da história

Raphael Vidigal

Pinturas: Obras de Pablo Picasso.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com