O menino ladrão de goiabas

“namoram na sombra da parede onde a árvore derrama sua chuvarada escura de flores.” Virginia Woolf

Obra de Giorgio Morandi retrata crônica de Raphael Vidigal

Se eu sou um mistério para mim, por que deixar de sê-lo para os outros? Há tártaro nas janelas. Existe tártaro nos poemas. O tártaro, onde quer que ele esteja, não é evasão de morte, mas impressão de vida. O tártaro dá plasticidade à cena. O tártaro suja o poema. O tártaro confere ao ambiente sua condição espessa. Eliminar todas as clemências, todas as luzes brandas, todas as preces. Para que reste a ausência consentida. Que existiu somente para o nosso descaso. Um poço de sabedoria afogado em tramas e veleidades. Passa: com desgosto, sem saber, ao largo. Passa: não tem queijo, garfo ou faca. Cascão, cascudo, casca. Tem problemas, sérios problemas, por isso riscaram-no do mapa. Mas é uma figura pacata, pequena, bonita, e necessitada. Igual a todas as outras.

O real motivo? O real motivo nem Deus sabe. Um menino ladrão de goiabas: desperta, despedaçada. O dia passou macilento, arrastado e incrédulo. Precisa retornar. Uma cidade decrépita afunda em banzo: ali está ela. A menina. Sem remorsos ou despedidas jogam-se cartas no mar. Como este livro que nada diz a verdade. Que inventa, ludibria, mata. A mentira, a mentira, livro da mentira, livro do enfeite, malogrado e infungível. Escreva sobre o que a sentir: uma lasca, uma avelã, uma lira, uma lorota, uma lufa leve lava. Vigora o café passado o desespero diário: perdidas linhas. De ti não tenho a dizer nada. Não temo mais a sorte da romã, as ostras do verão… O ímpeto não permite protesto. Frequentemente temos uma impressão, e na realidade aconteceu outra coisa.

Morandi foi um dos maiores pintores de natureza morta

Raphael Vidigal

Pinturas: Obras de Giorgio Morandi.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com