Michael Jackson (Cantores internacionais)

“Fez-se então o ar mais denso, como cheio dum incenso.
Que anjos dessem, cujos leves passos soam musicais.” Edgar Allan Poe

Rei do Pop

Acanhando, dentro do que nunca achou poderia ou devia fazê-lo, um rubor toma conta da ousadia involuntária, abismado pela impaciência do condão paterno o tendão se contrai em nervo e dissidência, de repente o rato corre tanto a ponto de esquecer a dor de ter uma pata presa na ratoeira.

Mas a transposição não desfaz a medida e circunstância de ter sido o menino criado por mãos de gancho, servos feitos em imobiliárias, línguas bipartidas de cobra arranjando lugar no estômago para devorá-lo. Parece conto de fadas, mas é horror a vida deste garoto.

“’Cause this is thriller
 Thriller night
 And no one’s gonna save you
 From the beast about to strike
 You know it’s thriller
 Thriller night
 You’re fighting for your life

Para disfarçar as aparências as moçoilas usam do pó compacto, a fantasia de esconder a face em máscaras de renitente fragilidade. Eis o tempo a passar com a carruagem-abóbora, despistando o não olhar para trás dos sapatinhos de cristal perdidos na escada.

Relógios apenas ressoam horas em masmorras, calabouços, trancas e cadeados. Prisioneiros aglomeram-se em retirada. Aos poucos, a sala submerge vazia os sonhos dum angélico cristão endiabrado. Salmos da bíblia não servem de nada nesta mazela anoitada.

“Now I believe in miracles
 And a miracle has happened tonight
 But, if you’re thinking about my baby
 It don’t matter if you’re black or white”

Amórfico, anacrônico, repelente de verdes brilhos, esconde-se da lembrança. Pena ela persegue. Mais do que tudo ela persegue. Com seu rastro de tinta grudadora. Escrevendo desinibida os buracos fundos que nos amalgamam.

Vergonha, virtude e rebelião. Michael possuía a poça, a lousa, a lua refletida em ambas: as duas. Dentre o armistício e o proclamar da guerra, percebeu os cupins roendo a paupérrima perna, aquela mesma do rato preso na ratoeira.

“Billie Jean is not my lover
 She’s just a girl
 Who claims that I am the one
 But the kid is not my son”

Não deteve forças as têmporas e chiliques, ricocheteio incrível de que era capaz o capuz e o chicote presos nos membros inferiores: com ele dançava, estivava, areava a terra pronta à colheita e bonança. Cantava…mas destilou afoito perante os macacos nos galhos.

Ícaro transfigurado, voou tanto ao sol das asas apagarem-se em cera, nada mais restar além de presságios…

Uiva o lobo. Postou-se o Rei.

cantor Michael Jackson

Raphael Vidigal

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

11 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade