Crítica: David Tavares expande territórios da música

“Açougueiro sem cãibra nos braços.
Acontece que não acredito em fatos,
magarefe agreste,
pego a posta do vivido,
talho, retalho, esfolo o fato nu e cru,
pimento, condimento,
povôo de especiarias,
fervento, asso ou frito,
até que tudo se figure fábula” Wally Salomão

David-Tavares

Jards Macalé já disse que “a carteira de identidade da música é a música”, e que não entende essa de “samba, bolero, rumba, tango, rock…”. Embora seja pontual na descrição dos estilos que percorre no álbum, “Nem tão rei, nem tão rato”, grafado em espanhol, o violonista David Tavares, natural de Guarapuava, no interior do Paraná, e residente na terra do Rei Filipe VI há quase 30 anos, atém-se aos ritmos mais na teoria do que na prática. Com sua natural inclinação para o virtuosismo, é de praxe, nesse disco, sermos primeiro apresentados à maneira clássica da canção que se inicia, para, num segundo momento, sofrermos o arrebatamento decorrente da inventividade criativa do artista. Assim, David expande os territórios da música sem precisar de bússola.

Predominantemente instrumental, o álbum de Tavares tem por mérito, sobretudo, a descrição detalhada de um ambiente, que se dá pelas referências dos gêneros identificados pelos títulos. Assim, a música cria enredo, contexto, aroma, sem precisar de palavras. Quando isto acontece, as letras feitas em parceria com Bio Medeiros sofrem variação. “Marineide da Favela”, homenagem à filha do músico, criança que é também responsável pelo desenho que ilustra a capa, acerta no tom, por abordar tema caro à nova concepção feminista sem perder a leveza do período fértil da infância, tal como “Negro e Sinhá”, poesia simples, mas refinada, de acordo com o assunto abordado. “Minha Vida” aparece mais óbvia e menos inspirada. Já as vozes de Paulo Mestre e Pedro Moreno revelam-se acertos.

David-Tavares-violonista

Raphael Vidigal

Fotos: Noah Shaye/Divulgação.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade