Clássicos do cinema mundial são disponibilizados por plataformas brasileiras

“… Afogando a realidade melhor do que destacando-a do imaginário.” Godard

Com um enorme abajur nas costas, como uma espécie de guarda-chuva contra a água que molha as janelas do lado de fora, mas que parece inundar o próprio relacionamento amoroso, um casal se vale de truques com títulos de livros para se comunicar, após combinarem de não mais se falar.

Essa deliciosa cena de “Uma Mulher É Uma Mulher” (1961), um dos filmes mais divertidos de Jean-Luc Godard, poderá ser vista gratuitamente por todos aqueles que realizarem a sua inscrição no portal belasartesalacarte.com.br até esta quarta (15/4). A partir de quinta (16/4), o valor cobrado será de R$10,90 ao mês pela assinatura. Não há dúvidas de que o investimento vale a pena.

A iniciativa do Belas Artes a La Carte oferece um cardápio recheado de produções clássicas, de provocar inveja e excitação em qualquer cinéfilo que preze a alcunha. Muito além do que há nas plataformas mais batidas. Estão lá, por exemplo, a paródia “Uma Noite em Casablanca” (1946), dos Irmãos Marx, o dramático “Rocco e Seus Irmãos” (1960), de Luchino Visconti, “O Gabinete do Dr. Caligari” (1919), pilar do expressionismo alemão, “Império dos Sonhos” (2006), de David Lynch, “E Deus Criou a Mulher” (1956), protagonizado por Brigitte Bardot, e ainda inúmeros filmes dirigidos por cineastas com assinatura reconhecível, como Eric Rohmer, Andrei Tarkovsky, Yasujiro Ozu, Ingmar Bergman, Francis Ford Coppola, Michael Haneke, Robert Bresson e Luis Buñuel.

Todos eles divididos em categorias com nomes pra lá de sagazes, do tipo “Preparem seus lenços”, para as películas que prometem gerar contrações lacrimosas no espectador. Outro acerto é a possibilidade de assistir a um vídeo prévio, gravado pelos curadores do Belas Artes, explicando o porquê de gastar o nosso precioso tempo com os longas-metragens ali disponibilizados.

No mesmo sentido vai a decisão da plataforma brasileira spcineplay.com.br, que colocou gratuitamente na rede o seu rico acervo, para deleite do público aficionado pela sétima arte. Hector Babenco, José Mojica Marins, o eterno Zé do Caixão, Ana Carolina, Helena Ignez, Lucia Murat, Andrea Tonacci e outros realizadores nacionais ganharam espaços exclusivos para suas criações no site.

A Mostra Internacional de Cinema, com os imperdíveis “O Estranho Caso de Angélica”, “O Gebo e a Sombra” e “Visita ou Memórias e Confissões”, do português Manoel de Oliveira, também é contemplada. Como se não bastasse, há no catálogo uma série de documentários musicais sobre Cartola, Jards Macalé, Carmen Miranda, Novos Baianos, Paulo Vanzolini e outros, e, ainda, a adaptação “A Hora da Estrela” para o romance de Clarice Lispector, e o belo “A Hora Mágica”, de Guilherme de Almeida Prado. Tudo ao bel prazer do público.

Raphael Vidigal

Imagens: cena de “Uma Mulher É Uma Mulher”, de Jean-Luc Godard; e de “O Estranho Caso de Angélica”, de Manoel de Oliveira, respectivamente.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com