Clássicos do cinema mundial são disponibilizados por plataformas brasileiras

“… Afogando a realidade melhor do que destacando-a do imaginário.” Godard

Com um enorme abajur nas costas, como uma espécie de guarda-chuva contra a água que molha as janelas do lado de fora, mas que parece inundar o próprio relacionamento amoroso, um casal se vale de truques com títulos de livros para se comunicar, após combinarem de não mais se falar.

Essa deliciosa cena de “Uma Mulher É Uma Mulher” (1961), um dos filmes mais divertidos de Jean-Luc Godard, poderá ser vista gratuitamente por todos aqueles que realizarem a sua inscrição no portal belasartesalacarte.com.br até esta quarta (15/4). A partir de quinta (16/4), o valor cobrado será de R$10,90 ao mês pela assinatura. Não há dúvidas de que o investimento vale a pena.

A iniciativa do Belas Artes a La Carte oferece um cardápio recheado de produções clássicas, de provocar inveja e excitação em qualquer cinéfilo que preze a alcunha. Muito além do que há nas plataformas mais batidas. Estão lá, por exemplo, a paródia “Uma Noite em Casablanca” (1946), dos Irmãos Marx, o dramático “Rocco e Seus Irmãos” (1960), de Luchino Visconti, “O Gabinete do Dr. Caligari” (1919), pilar do expressionismo alemão, “Império dos Sonhos” (2006), de David Lynch, “E Deus Criou a Mulher” (1956), protagonizado por Brigitte Bardot, e ainda inúmeros filmes dirigidos por cineastas com assinatura reconhecível, como Eric Rohmer, Andrei Tarkovsky, Yasujiro Ozu, Ingmar Bergman, Francis Ford Coppola, Michael Haneke, Robert Bresson e Luis Buñuel.

Todos eles divididos em categorias com nomes pra lá de sagazes, do tipo “Preparem seus lenços”, para as películas que prometem gerar contrações lacrimosas no espectador. Outro acerto é a possibilidade de assistir a um vídeo prévio, gravado pelos curadores do Belas Artes, explicando o porquê de gastar o nosso precioso tempo com os longas-metragens ali disponibilizados.

No mesmo sentido vai a decisão da plataforma brasileira spcineplay.com.br, que colocou gratuitamente na rede o seu rico acervo, para deleite do público aficionado pela sétima arte. Hector Babenco, José Mojica Marins, o eterno Zé do Caixão, Ana Carolina, Helena Ignez, Lucia Murat, Andrea Tonacci e outros realizadores nacionais ganharam espaços exclusivos para suas criações no site.

A Mostra Internacional de Cinema, com os imperdíveis “O Estranho Caso de Angélica”, “O Gebo e a Sombra” e “Visita ou Memórias e Confissões”, do português Manoel de Oliveira, também é contemplada. Como se não bastasse, há no catálogo uma série de documentários musicais sobre Cartola, Jards Macalé, Carmen Miranda, Novos Baianos, Paulo Vanzolini e outros, e, ainda, a adaptação “A Hora da Estrela” para o romance de Clarice Lispector, e o belo “A Hora Mágica”, de Guilherme de Almeida Prado. Tudo ao bel prazer do público.

Raphael Vidigal

Imagens: cena de “Uma Mulher É Uma Mulher”, de Jean-Luc Godard; e de “O Estranho Caso de Angélica”, de Manoel de Oliveira, respectivamente.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

[xyz-ips snippet="facecometarios"]