Caderno H2O – 03/06/2016

“Enfim, alguém à minha altura
Enfim, alguém à minha baixaria” Agatha Almeida

Pijama2

Pijama
Vesti um samba canção
A fim de escrever um soneto.
Não deu certo fui de lingerie
Para compor uma balada sangrenta.
Já de lycra combinei um listrado
Mas foi grande o meu constrangimento.
O pijama dos poetas
é uma cueca e um sutiã de renda.

Kafka
O lagarto vira borboleta
Desde muito antes do bisturi
O casulo dá na natureza
O que a cirurgia dá aqui
Silicone, peito, bunda, sexo,
Muda até a cor do faquir
O que era espelho vira reflexo
E o que era certo já não é bem assim
Bem, nessa história de metamorfose,
Eis que o inseto humano
(Buda, hindu, asceta),
Aprende a existir.

I
Impelindo o Inquilino o Inquisidor
Chegou à seguinte conclusão:
u o I e a
A E i O U
No meio de tudo:
r I r

Brega
Deus sopra as palavras em teu ouvido,
e esbarra outras em meu cotovelo.

Se o mundo é brega, quê que eu faço?
Submundos, meus colegas!
Eu gosto de ficar por baixo.

Ih deu zebra…
Zebra
Só dá azar
No jogo dos homens
Porque na natureza
Sorte
É nascer listrado
Pelo de cavalo
Até o leão concorda.

Azares
Tinha a faca e o queijo na mão
Quando enfiou o pé na jaca
Jaca2

Poemas de Raphael Vidigal.

Ilustrações, feitas especialmente para essa coluna, por Cristiano Bistene.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com