10 casos de assédio sexual no cinema e na TV

“A força não pode tudo. E a violência não pode tornar não vista uma coisa que foi vista.” Brecht

Ao receber o prêmio de melhor atriz no Oscar por sua atuação em “Três Anúncios Para um Crime”, Frances McDormand discursou em favor da “inclusion rider”, uma cláusula de contrato existente nos Estados Unidos que pode ser exigida por atrizes e atores para que sets, filmes e seriados tenham representatividade próxima a uma equidade racial e de gênero. Meses antes, o Globo de Ouro havia sido palco de um protesto inédito, quando atrizes como Meryl Streep, Emma Stone e Elisabeth Moss compareceram de preto para demonstrar sua indignação contra os atos de abuso sexual cometidos por atores, diretores e produtores. Embora tenham ganhado vulto e repercussão principalmente a partir do movimento #MeToo, os casos de denúncias de assédio no cinema não vêm de hoje, e abarcam diferentes gerações, assim como nacionalidades. As consequências também variam, indo da condenação à impunidade. Veja na lista abaixo alguns dos casos mais conhecidos.

Roman Polanski
Em março de 1977, o diretor polonês foi preso e condenado em Los Angeles pelos crimes de estupro com uso de drogas, sodomia e atos libidinosos contra a modelo Samantha Geimer, então com 13 anos. Polanski se declarou inocente e se refugiou na França poucas horas antes de ser sentenciado.

Dustin Hoffman
O ator foi denunciado por assediar a escritora Anna Graham Hunter em 1985, quando era estagiária, aos 17 anos, nas gravações de “A Morte de Um Caixeiro-Viajante”. Em seguida, a produtora Wendy Riss Gatsiounis também o acusou de ter um comportamento parecido com ela no ano de 1991.

Woody Allen
Em 2013, Dylan Farrow, filha adotiva do diretor norte-americano, declarou em entrevista a uma revista que foi molestada pelo padrasto em 1992, quando tinha apenas sete anos. Em seguida, as atrizes Greta Gerwig, Mira Sorvino e Ellen Page afirmaram que não trabalhariam mais com Allen.

Bill Cosby
No último dia 25 de setembro, o comediante norte-americano foi condenado a cumprir uma pena de 3 a 10 anos de cadeia e definido pela sentença como um “predador sexual violento”. Ele foi condenado pelo estupro, em 2004, de Andrea Constand, além de ter acusações de mais de 60 outras mulheres.

Harvey Weinstein
O escândalo Weinstein foi o que deu início ao movimento #MeToo. Em 2017, um dos mais podersosos produtores de Hollywood foi acusado de assédio sexual por várias mulheres, incluindo Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Mira Sorvino e Rosanna Arquette, além de outras três que o acusam de estupro.

José Mayer
Em março de 2017, o galã da Globo foi acusado de assédio sexual pela figurinista Susllem Meneguzzi Tonani. O caso teve repercussão dentro da própria emissora, com atrizes como Taís Araújo, Glória Pires e Cissa Guimarães lançando a campanha “Mexeu Com Uma Mexeu Com Todas”.

Kevin Spacey
Protagonista da aclamada série “House of Cards”, Spacey foi acusado de assédio em 2017, pelo ator Anthony Rapp, de “Star Trek”, que afirmou ter sido abusado quando tinha 14 anos. Spacey assumiu sua homossexualidade como forma de justificar o crime, mas acabou demitido pela Netflix.

Steven Seagal
Responsável por várias das maiores bilheterias do cinema norte-americano, Seagal foi acusado pela jornalista Lisa Guerrero e também pela atriz Portia de Rossi, esposa da apresentadora Ellen Degeneres, de assédio sexual. Em 2018, ele foi denunciado pela atriz Regina Simmons pelo crime de estupro.

Ed Westwick
Popular graças ao personagem Chuck, da série “Gossip Girl”, o ator inglês começou a conviver com as denúncias de assédio e tentativa de estupro em 2017. A atriz Kristina Cohen foi a primeira a acusá-lo de forçar uma relação. Em seguida, as atrizes Aurélie Wynn e Rachel Eck reforçaram os relatos.

Asia Argento
A atriz italiana foi uma das primeiras a denunciar Harvey Weinstein em 2017, acusando-o de estupro. Mas, em 2018, Asia foi acusada pelo ator Jimmy Bennett de obrigá-lo a ter relações sexuais com ela quando ele tinha apenas 17 anos. A atriz ainda teria dado dinheiro a Bennett para ele ficar calado.

Raphael Vidigal

Fotos: Divulgação.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade