Oswaldo Montenegro (Cantores brasileiros)

cantor brasileiro

Homem do teatro ou da melodia? Cabelos ao vento ou de cimento? Filho de Brasília ou pai da interpretação? Nenhuma delas, Oswaldo Montenegro, querelas à parte, faz arte. Brinca com as palavras, brinda com vinho-canção. Ode à melancolia ou trote à alegria barata, tudo pode, sem nada gasta, insurge a graça feito garça no horizonte anil da popular música brasileira.

Duas metades. Dois nomes grandes. Oswaldo. Montenegro. Centopéia cheia com credos calombos carbonos juízes? Oras, somos todos lumes seja na igreja ou na pradaria. Cada um ilumina o que enxerga, atenta, escapa ou aliança de dedo na mão agora é aliança de dedo na mão? Depende. Varia. Verte.

“Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade”

Varinha serve pra mágica como serve pra coisa alguma. São João existe Del Rei como carpinteiro, pedreiro, frases batidas no liquidificador. Lenhas, violões, automóveis, ‘poeta maldito, moleque vadio’. Bandolins, bordões e traves: bailarina se equilibra na corda bamba, corda estática é pra ludibriar cão de guarda.

O condor voa baixo, a Dança dos Signos se instaura, Léo e Bia são como Lua e Flor, e na intuição o Chato acha ter Vida de Artista e como Estrela se manda junto aos Filhos Hippie no Celeiro chamado motivação musical. Chama para alguns, crista azulada para outros. Uns atendem, outros não. Mera filosofia, a outra agonia.

“Ela valsando
Só na madrugada
Se julgando amada
Ao som dos bandolins…”

compositor bandolins

Raphael Vidigal

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

5 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com