Natal

“Procurem por toda parte
Pura ou degradada até a última baixeza
Eu quero a estrela da manhã.” Manuel Bandeira

Natal

O Natal se aventura à meia-noite com o som que vem do choro do Menino Jesus.

O som de passos que caminham em direção ao Salvador trazendo-lhe oferendas.

Os Três Reis Magos presenteiam como graça, agradecimento.

É o sinal de devoção àquele que eles acreditam trazer em si a soma da união, dos bons valores, do amor à vida que se espalha em cada grão de areia, ou gota d’água.

É o som surdo duma alegria que se vê no rosto de Maria e se faz na contemplação de José.

É o som dos animais que permeiam a casa escolhida para nascer o Menino, na simples manjedoura que lhe abriga tal qual sua sabedoria perene.

Muito antes do som, há o barulho.

Muito antes de castelos, palácios, riquezas, há manjedouras.

Por isso muito antes da neve, dos sinos, das luzes e da barba branca que acolhe o corpo vermelho de um senhor bondoso e carinhoso para com as crianças há a criação da fé ao homem, ao próximo, ao suplício eterno pela caridade pura e desprovida de interesses.

Pelo viver em ver o outro viver bem.

E alegrar-se pelo outro como a si.

Então haverá o som de harpas tocadas pelos anjos, tamborins tocados pelos sambistas e tambores tocados pelos reis magos do axé.

Pois lá no início houve o deslumbramento provocado pelo choro do Menino Jesus e o sorriso cândido dos que permaneceram acortinados nele.

A isso, comemora-se o Natal.

Natal Musical

Raphael Vidigal

Lido na rádio Itatiaia por Acir Antão dia 23/12/2012.

Pintura: “O Pequeno Acendedor de Fósforos”, de Leonardo Braga.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Email

Comentários pelo Facebook

10 Comentários

  • Muito lindo seu texto, Raphael! Tão singelo e tão profundo…
    Parabéns! Bjos

    Resposta
  • mas é importante saber que a divulgação e a ênfase nestes símbolos é feita! Parabéns pelo texto 🙂

    Resposta
  • Vou guardar para ler mais tarde. Oba! Adoro textos sobre Natal… obrigada Raphael!

    Resposta
  • Raphael Vidigal, adorei o texto. Não esperei para ler mais tarde não… rsrs… Muito bom! Tomei a liberdade de arquivar. Muito obrigada!

    E parabéns!!!!!

    Que belo, Raphael! Como tudo que você escreve, quanta beleza!
    Sou uma apaixonada por contos de Natal, textos de Natal, cantigas natalinas. E se me permitir, gostaria de trazer seu texto aos meus arquivos, com o crédito, naturalmente. Obrigada por tanta luz e por compartilhar!
    Grande e abençoado abraço!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

[xyz-ips snippet="facecometarios"]