Deh Mussulini e Lucas Telles lançam samba de Raphael Vidigal e Ronaldo Ferreira

“E resta,
perdida no ar, por que melhor se conserve,
uma particular tristeza, a imprimir seu selo nas nuvens.” Carlos Drummond de Andrade

O samba “Tempo da Estiagem” foi composto por Raphael Vidigal e Ronaldo Ferreira no início de 2020. É a estreia da dupla no gênero. Juntos, o mineiro Vidigal e o paulista Ferreira já haviam criado duas marchinhas: “Cuidado com o Pescoço” e “Retiro do Vampiro”, em 2017 e 2018, respectivamente. Para interpretar a composição, eles convidaram a cantora Deh Mussulini e o violonista Lucas Telles, que também cuidou dos arranjos e da produção da faixa.

Telles, por sinal, trabalhou como instrumentista e arranjador no álbum “Waldir Silva em Letra & Música” (2016), com 12 chorinhos do anfitrião, que receberam letras de Vidigal e André Figueiredo, filho mais novo de Ronaldo Ferreira. Vencedor do Prêmio BDMG, Telles é fundador do grupo de choro Toca de Tatu. Já a cantora Deh Mussulini estreou em disco solo no ano de 2015, com “Varanda Aberta”. Antes, ela integrou o coletivo A.N.A (Amostra Nua de Autoras). No final de 2019, Deh colocou na praça o seu primeiro livro de poesias, “Todas as Primaveras em Mim”.

Vidigal estreou como poeta em livro com “Amor de Morte Entre Duas Vidas”, de 2014. No ano de 2018, publicou o romance experimental “O Sol Áspero”. Em 2019, foi finalista do Concurso de Marchinhas Mestre Jonas com “Santo Profano, Deusa Mulher”, que recebeu gravações de Mauro Zockratto e Giselle Couto. “Tempo da Estiagem” é um samba lírico, na tradição da música popular brasileira afeita à dor de cotovelo, e que bebe nas influências de Batatinha e Paulinho da Viola, com sua doce melancolia. A pintura “Lírios de Água”, de Monet, capta essa sensação.

“Tempo da Estiagem”
(Raphael Vidigal e Ronaldo Ferreira)

Já superei sua desfeita
Não vou chorar sobre a mesa
O leite que você derramou

É cada um na sua dispensa
Você tenha consciência
Que perdeu um grande amor

Quando te vi
Você veio sem receio
Como os ventos e os mares
Tudo era rosa em flor

Mas com o tempo da estiagem
Logo veio a vontade
De colher outro sabor

(Bis)

Foto: Henrique Bocelli Falcão/Divulgação.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade