Bee Gees (Cantores internacionais)

“Vezenquando baixa uma saudade, quase sempre clara como tem sido o ar verde-azulado deste verão, e fico sentindo falta do teu jeito lento de chegar pisando em nuvens, sempre azul.” Caio Fernando Abreu

cantores internacionais

Crápula das minhas aliterações, eu mesmo um pobre ponto mal costurado. Rio e o riso é grosso. Massivo maciço maço de cigarros estonteantes, puxo o primeiro: é Barry Gibb, homem bonito, robusto, alce dos Andes. Nele se sustentam os ases do baralho embaralhado por Eros.

O segundo cigarro de que me sirvo é Robin Gibb, esguio, raquítico, trágico. Uma tesoura cega tentando entrar num ambiente de malhas, rangedoras, qual máquinas em horário de trabalho. Insiste com a especiaria dum ramo duma espiga de milho. Chamam-lhe o espantalho, ele treme, mas não reage.

Logo no terceiro e último cigarro a experiência da forca, redimindo os erros protéicos, patéticos, profetizados. Um nome luva-guilhotina: Maurice Gibb, barba de pacifista, óculos de vingador. Arremete ao longe tua esperança desmedida, e compartilha o sumo do próprio gosto.

“Feel I’m goin’ back to Massachusetts
Something’s telling me I must go home
And the lights all went out in Massachusetts
The day I left her standing on her own”

Assim, sem fazer nada, de repente, extingui os três cigarros, numa maratona lúcida e alada – alucinada – em que o frigir dos ovos espevitou juncos, gardênias, lhanezas, abutres. Do anel infiltrado expulsa o sabonete azul-claro.

Se foram, os três irmãos revolucionários, três cigarros em mãos distraídas, esbaforindo, esperando, arruaceiros de voz diletantes. E é tão bom: ainda estão por toda parte. Mesmo onde está o alce, mesmo onde não estão Maurice e Robin. Querubins de asas bonina, violeta e verde (carregam-lhes pés de alface).

No fim inimaginável: caminham lado a lado, joelhos dados – união –

banda Bee Gees

Raphael Vidigal

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

6 Comentários

  • Adorooo Bee Gees…. fiquei triste com o falecimento de um deles…. 🙁

    Resposta
  • Rapha.. to amando os post do blog!

    Você canta também ne??
    Já fez uma avaliação com fono para conhecer mais sua voz???

    Resposta
  • Muito bom!!!

    “O segundo cigarro de que me sirvo é Robin Gibb, esguio, raquítico, trágico. Uma tesoura cega tentando entrar num ambiente de malhas, rangedoras, qual máquinas em horário de trabalho”

    Adorei!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade