As Músicas Na Voz De Jamelão

“nenhuma nuvem, mas o corpo de cristal
a tangente formada na concha da mão
como vento vivo em alamedas de faias
como vigoroso ar entre ciprestes” Ezra Pound

Jamelao

Dormia o fruto na planta, quando um ruído doce o despertou. Veio assim, de repente, sem saber de onde vinha, pra que vinha, com a perfeição que a natureza confere aos pré-destinados. José Bispo só saíra de casa com seu pandeiro na intenção de paquerar as meninas, e divertir-se ao som do ritmo. Não imaginava que o coração guardava a verde e rosa coloração da Mangueira, nem que tua pele negra marotamente lhe daria uma assinatura.

Única e inimitável, como estilo, não como nomes que se repetem. Despertou o fruto, a assinatura, a cor, o ritmo, a voz vigorosa, extrema, suspensa e pesada, puro aço cintilante e admirável. Jamelão cantou o samba de sua escola, e a dor de cotovelo do professor do samba-canção, Lupicínio Rodrigues. Excursionou com a Orquestra Tabajara de Severino Araújo, desfilou em parques europeus o brasileiro autêntico que sempre foi, e é ainda, pois é possível ouvir em discos a deflagração do objeto que amanheceu vida.

Um fruto de Mangueira, nativo da Índia, adaptado perfeitamente bem ao meio ambiente, equipado com a matéria e o espírito necessários para sobreviver. Nunca puxando, interpretando o fogo, que ele ajudou a criar com pedras e mãos esfregando, gogó no aprumo, da nação. Sucessos? “Leviana”, “Fechei a porta”, “Folha Morta”, “Não põe a mão”, “Matriz ou filial”, “Exaltação à Mangueira”, “Eu agora sou feliz”, “Esses moços”, “O Samba é bom assim”, “Ela disse-me assim”, “Quem há de dizer”, “Quem sabe fica”, de Tião Motorista, dele, Ary Barroso, Zé Kéti, Mestre Gato, Lúcio Cardim, Lupicínio Rodrigues, tantos, outros.

Que o resto é lenda, o roto é história, a reza é hóstia.
Ouça Jamelão. Simplesmente.

Jamelao-musica

Raphael Vidigal

Lido na rádio Itatiaia por Acir Antão em 12/05/2013.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

16 Comentários

  • ainda assisti a um show do jamelão no extinto mistura fina ..um show de 3 horas . já com 90 e tais anos e tenho fotos do show.

    Resposta
  • Parabéns meu amigo sou super fã do Grande Jamelão. Já postei para os amigos. Conte sempre conosco! Abraços

    Resposta
  • Jamelão, a voz que consagrou sambas de inúmeros compositores segue viva na memória dos mangueirenses e dos admiradores de boa música. Pode-se dizer que foi uma vida toda dedicada ao samba.

    Resposta
  • Já gravei algumas musicas do Jamelão, são obras primas do samba canção, brevemente pretendo gravar um CD com as melhores do Grande Jamelão!

    Resposta
  • Jamelão foi inesquecível na Mangueira! Vc já escreveu sobre Dalva de Oliveira! Adoro tbm!

    Resposta
  • “E o remorso está me torturando, por ter feito a loucura que fiz…”

    Receita pra curar dor na esquina do braço.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com