Artes Plásticas: Gol de placa

“Para Garrincha, o espaço de um pequeno guardanapo era um enorme latifúndio.” Armando Nogueira

Futebol Cruzeiro

O olho inchado antevê a jogada. Não como antevê o hábil bailarino que distribui elásticos. O jogo truncado é resolvido no ato. Não como resolve o distribuidor de canetas. Como num ricocheteio a perna esquerda alcança a bola, que rodando encontra o fundo das redes.

O grito da arquibancada funde-se ao grito ensandecido de um corpo entroncado, coberto por longas tranças capilares que soltas ao sabor do vento alardeiam o combate do homem com a arte.

É a despedida. Nunca é certo quando o adeus é pela primeira ou última vez. Em meio à algazarra, camisas que imitam bandeiras erguidas para o alto, apitos e buzinaços, o olho inchado arde.

Arde de choro, de alegria, de tristeza, de sangue e suor derramados. Como o caldo escorrido do corpo escorre também no gramado uma profusão de sons que entre a satisfação e a inconformidade pedem ao ídolo que não abandone o combate.

Mas é inevitável que depois da luta o soldado se retire, e una seu corpo alado à constelação de estelares que já fazem parte da saudade. Bordado mais com ferro do que com ouro, o nome do argentino vira símbolo de uma celeste instituição semeadora de esperanças, felicidades, tristezas e frustrações.

Voltaria a vestir o mesmo manto outras vezes. Cultivando no lado esquerdo o borrão que transforma escudos em coração. Livre para aparecer em todos os lados e pontos do gramado, arrancava suspiros de susto do adversário, gritos de surpresa da torcida apaixonada.

Cruzeiro Esporte Clube é seu primeiro nome. Sorín, o segundo.

Futebol brasileiro

Raphael Vidigal

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

8 Comentários

  • O texto é lindo! mas…
    prefiro o outro…que tal escrever sobre o Marques?
    Beijos…

    Resposta
  • brigado Raphael Vidigal pelo texto e homenagens emocionantes! Abs Azul

    Resposta
  • ?Juan Pablo Sorín um craque, um mestre, pena que parou de jogar bola, eu gostava muito dele, enlouquecia a nação celeste… Parabéns pra vc. Espero te conhecer um dia pessoalmente!!!

    Resposta
  • Arrepiei! lindo demais .. ”Cruzeiro Esporte Clube é seu primeiro nome. Sorín, o segundo.”

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade