10 discos mais vendidos no Brasil

“A arte é longa e a vida é curta, e devemos ser pacientes, ao mesmo tempo que tentamos vender caro nossas vidas.” Van Gogh

Marília Mendonça é recordista em vendagem de discos

A matemática é simples: os discos físicos sofreram uma queda de 43% em relação ao ano anterior, enquanto as plataformas digitais tiveram aumento de 52%. Os dados divulgados pela associação que representa as principais gravadoras do país, conhecida como Pró-Música Brasil, vieram à tona no final de 2017, e analisam números de 2015 e 2016. “Sim, dona lógica, a alma também precisa de um pouco de ar” é uma frase do poeta Mario Quintana que talvez explique porque em arte, às vezes, “dois e dois são cinco”, versos de Caetano Veloso feitos para o rei Roberto Carlos cantar nos idos anos de 1971.

Afinal de contas, apesar de todos os avanços na tecnologia para baixar e consumir música sem precisar do aparelho ou suporte físico, artistas de diferentes estilos e adesão junto ao mercado fonográfico continuam lançando trabalhos ainda através de CD, LP, DVD e afins. A constatação engloba tanto uma geração que se acostumou a isso, casos de Martinho da Vila, Maria Bethânia, Gal Costa, Chico Buarque e outros, quanto os representantes mais estourados no mercado pop, cuja velocidade de rotação é cada vez mais acelerada. Isso sem mencionar os ilustres desconhecidos da brava seara independente.

2017

1 – “Cabaré Night Club” – Leonardo & Eduardo Costa
Segundo álbum ao vivo a reunir os sertanejos Leonardo e Eduardo Costa. A exemplo do primeiro lançamento, a dupla dá voz a canções que misturam o universo sertanejo a lamentos de amor, com canções como “As Andorinhas”, “Não Quero Piedade”, “Uma Vez Por Mês” e “Passe Livre”. Ivete Sangalo marca presença em “Mal Acostumada”, sucesso do grupo Araketu na década de 1990.

2 – “Realidade – Ao Vivo em Manaus” – Marília Mendonça
O segundo álbum da carreira de Marília Mendonça também foi um registro ao vivo. Nascida no interior de Goiás, ela escolheu a cidade de Manaus para gravar “Realidade”, álbum que gerou DVD e ainda traz a participação da dupla Henrique & Juliano, na faixa “Mudou a Estação”. Outras canções da safra de sucessos de Marília se sucedem, casos de “Traição Não Tem Perdão” e “Eu Sei de Cor”.

3 – “Divide” – Ed Sheeran
O inglês Ed Sheeran tornou-se um fenômeno mundial e, como não poderia deixar de ser, o Brasil também se viu influenciado pela música pop do cantor e compositor associado ao folk. “Divide” é o terceiro disco da carreira do astro, e reafirmou a escalada de sucesso do anterior, com mais de 9 milhões de cópias vendidas ao redor do planeta. O single “Shape of You” já prenunciava o estouro.

4 – “Sambas de Enredo 2017” – Mangueira Campeã 2016
A história se repete: a coletânea com os sambas de enredo das agremiações cariocas de um ano antes está sempre entre as mais vendidas do país. Com a consagração da Estação Primeira de Mangueira em 2016, quando homenageou ninguém menos do que Maria Bethânia, essas vendas certamente foram puxadas para cima. Afinal de contas a escola de Cartola é a mais cantada em versos.

5 – “La La Land” – Trilha sonora do filme
Dono do maior número de estatuetas no Oscar de 2017, o filme “La La Land” abocanhou, entre elas, a de melhor trilha sonora oficial. Como não poderia deixar de ser, o disco com este material vendeu bem no mundo todo, tendo o público brasileiro como um dos que mais se encantou com o longa-metragem. A dupla de protagonistas Ryan Gosling e Emma Stone interpreta várias das canções no CD.

Históricos

1 – “Músicas para Louvar ao Senhor” – Padre Marcelo Rossi (1998)
Com mais de 3 milhões de cópias vendidas, o disco é o primeiro da carreira do padre Marcelo Rossi, lançado em 1998. Gravado durante as missas realizadas no Santuário Terço Bizantino, na cidade de São Paulo, popularizou canções como “Erguei as Mãos: Senhor Tem Muitos Filhos” e “Anjos de Deus”. O registro ao vivo ganhou, posteriormente, uma regravação com canções das músicas em espanhol.

2 – “Xou da Xuxa 3” – Xuxa Meneghel (1988)
A atual apresentadora da Rede Record era absoluta no mercado infantil na década de 1980. A prova disso são os números de “Xou da Xuxa 3” que, como já anuncia o título, é parte de uma bem sucedida franquia. O trabalhou revelou ao público a música “Ilariê”, uma das mais tocadas nas rádios em 1988, quando o álbum foi lançado, rivalizando com “Brasil” e “Faz Parte do Meu Show”, ambas de Cazuza.

3 – “Leandro & Leonardo” – Idem (1990)
Leandro & Leonardo já era considerada a dupla sertaneja de maior sucesso comercial no país quando chegou ao seu quarto disco, responsável por vender mais de 3 milhões de cópias. Entre os sucessos que permanecem na memória dos fãs estão “Pense em Mim”, “Desculpe, Mas eu vou Chorar” e “Talismã”. Oito anos mais tarde, a dupla se desfez com a morte de Leandro, vítima de um câncer.

4 – “Quatro Estações: o Show” – Sandy & Júnior (2000)
A dupla mirim Sandy & Júnior chegava à adolescência dez anos depois da estreia com um disco daqueles chamados de “arrasa quarteirão”. O registro ao vivo do já bem sucedido “Quatro Estações” superou as expectativas. Lançado em CD, VHS e DVD, então uma insipiente novidade na época, superou as 3 milhões de cópias vendidas. Entre os sucessos estão “Eu Acho Que Pirei” e a faixa-título.

5 – “Rádio Pirata ao Vivo” – RPM (1986)
Comparado à histeria provocada pelos Beatles, o correspondente brasileiro da febre roqueira junto ao público juvenil chegou ao seu segundo disco com um registro ao vivo. Liderado por Paulo Ricardo, o RPM contou em “Rádio Pirata ao Vivo” com direção de Ney Matogrosso. Além de sucessos como “Alvorada Voraz e “Revoluções por Minuto”, a banda gravou “London London”, de Caetano Veloso.

Xuxa fez sucesso como cantora nos anos 1980

Raphael Vidigal

Fotos: Site Oficial; TV Record/Divulgação.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com