5 Youtubers brasileiras que provocaram polêmicas nas redes sociais

*por Raphael Vidigal

“Por que escreve e rasga a fogo/ o que te dei e arrisca
meu nome na roleta?/ Por que esta exposição à luz?
(…) Peço para mim mesma que ligue, ligue, ligue
os aparelhos surdos que só fazem som e tomam
o lugar clandestino da felicidade.
Preciso me atar ao velame com as próprias mãos.
Sopra fúria.” Ana Cristina Cesar

Viih Tube está no Paredão do Big Brother Brasil 21 e tem tudo para ser eliminada com um altíssimo índice de rejeição. A postura da youtuber, que conseguiu se safar de vários paredões na casa e recebeu apenas cinco votos em quase 100 dias de confinamento, não agradou aos espectadores. Taxada pelo público de fria, calculista e manipuladora, também foi apontada como uma grande jogadora. A bajulação a quem porventura tivesse benefícios no programa ficou marcada, como a emblemática cena em que, pulando em um pé só – já que o outro estava machucado após uma queda – ela correu para abraçar o então líder Caio que, depois, chamou de pai, como havia feito com outros participantes. Viih Tube não é a primeira influenciadora digital a se envolver em polêmicas nas redes sociais.

Ana Otani
Com mais de 1 milhão de inscritos em seu canal “Segredos de Ana”, onde costuma falar sobre sexo e conteúdos eróticos, a youtuber Ana Otani resolveu leiloar a própria virgindade em 2020, através de uma rifa que contou com mais de 15 mil inscritos. A história se tornou mais insólita quando ela revelou que passaria por uma cirurgia para reconstrução do hímen e se apresentava como a “única virgem experiente do mundo”. A ideia era dar a nova virgindade de presente ao namorado, mas, segundo ela, ao descobrir que fora traída, decidiu realizar a rifa “para ganhar dinheiro e se divertir”. No mesmo ano, em outubro, Ana foi presa em Natal ao tentar colocar fogo, com um galão de gasolina, no escritório da produtora Califórnia para se vingar da alegada traição do namorado.

Bianca Andrade, a Boca Rosa
Dona do canal de YouTube “Boca Rosa”, com mais de 5 milhões de inscritos, Bianca Andrade começou a adotar esse codinome artístico quando, sem dinheiro para comprar o batom da marca original, lançou mão de um batom rosa e passou a falar sobre maquiagem na internet. O sucesso cresceu até a sua entrada no Big Brother Brasil 20, quando ela protagonizou diversas polêmicas que culminaram com o fim de seu relacionamento com o cantor Diogo Melim. Dentro da casa, a influenciadora flertou com o participante Guilherme. Antes, em 2018, surgiram boatos de que ela teria participado de um sexo grupal durante a festa de aniversário da blogueira GKay. Como se não bastasse, no mesmo ano ela foi acusada de apropriação cultural após uma foto em que aparecia de cabelo afro.

Kéfera
A paranaense Kéfera foi uma das primeiras influenciadoras da internet a atingir um milhão de inscritos com o seu canal “5inco Minutos”, que a levou a ser apontada pela revista Forbes como uma das jovens mais promissoras do Brasil em 2016. Um ano antes, em 2015, ela protagonizou um triste episódio, ao comentar, no Twitter: “Dia triste pras inimigas: fui pra Paris e não morri”, logo após os atentados terroristas que culminaram na morte de mais de 130 pessoas na capital francesa. Em 2016, ela foi acusada de racismo ao parodiar, com o namorado, o videoclipe “Work”, de Rihanna. Em 2017, Kéfera foi condenada pela Justiça a indenizar um taxista após se revoltar com um pedido para não comer dentro do carro e filmá-lo, expondo seus dados pessoais e estimulando ataques.

Jout Jout
Julia Tolezano, conhecida como Jout Jout, apareceu na internet em 2014 com o seu canal “JoutJout Prazer”, que hoje contabiliza mais de 2 milhões de inscritos. Discutindo temas diversos e relevantes de maneira descontraída, ela logo chamou a atenção do público e também de outros meios de comunicação. Em 2015, quando revelou a identidade do então namorado Caio, que a auxiliava por trás das câmeras, teve que lidar com comentários racistas e resolveu abordar o assunto. Mais tarde, ao anunciar o término do namoro, contou que eles mantinham um relacionamento aberto. No mesmo ano, ela foi entrevistada por Jô Soares e ficou constrangida com comentários machistas do apresentador. Em 2017, ela apagou um vídeo em que afirmava que a carga energética do parceiro permanecia no corpo 7 anos após a relação sexual, o que levou a questionamentos sobre casos de estupro. Jout Jout se desculpou com seus fãs.

Foto: Rede Globo/Reprodução.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Siga no Instagram

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com