Nelson Ned (Romantismo)

Cantor brasileiro

Multidões lotavam estádios e teatros. Como num show nos dias de hoje do Rei Roberto Carlos. Um público ávido e carente pelas performances românticas do ‘Pequeno Gigante da Canção’. Conterrâneo de Ary Barroso, dono do gongo mais famoso da era de ouro do rádio brasileiro, Nelson Ned subia ao palco do porte de seu 1, 12 metros, para ser aplaudido de pé.

Vendeu centenas de discos, angariou prêmios de platina, ouro, fãs exaltadas, sucessos radiofônicos a todo instante. Foi o primeiro artista latino-americano a alcançar a marca de um milhão de cópias para seu álbum nos Estados Unidos. Sua música mais famosa tornou-se emblema da superação, e mais do que isso, foi parar na franquia do desenho ‘Ursinho Puff’, da Disney.

“Mas tudo passa,
Tudo passará
E nada fica,
Nada ficará
Só se encontra,
A felicidade
Quando se entrega,
O coração!!!”

Cantor de voz alarmante e potente, recheada por um poderoso grave, Nelson Ned obteve a façanha de gravar peça de auditório que misturava castelhanocom um inusitado refrão em inglês: “Happy Birthday, my darling!” derramava com gestos expressivos.

Bem apresentado em ternos de cores diversas, inúmeras gravatas que poderiam variar da borboleta à tradicional, e algumas jóias douradas, davam o toque de galanteador pouco notável ao homem que despertara imensas paixões nas ouvintes de palco.

“Cantamos juntos tantas veces 
el aniversario de este nuestro amor
y hoy estoy aquí tan solo
celebrando mi dolor!!!”

 A língua que o consagrou foi sem dúvida a espanhola, pois fora sempre aclamado em suas passagens por um sem números de países na América Latina. Mesmo ligado, sobretudo, aos enredos mais popularescos, não se ateve ao modelo, e cantou inclusive no Carnegie Hall, em Nova York.

A rotina de constante êxito parece tê-lo cansado um pouco. Embriagado por uma fé inabalável que sempre conduziu seus passos, haja vista as canções compostas em alusão ao tema, Nelson Ned converteu-se integralmente ao repertório gospel e passou a desaparecer da lembrança dos fãs de outrora. Dificuldades financeiras circundaram o caminho, mas para quem tem o poder da música, a vitória se avizinha à espreita.

“Hoje eu lhe mando essas flores
Que eu colhi de um jardim
Na esperança que você se lembre
Um pouquinho de mim”

Brega

Raphael Vidigal

Lido na Rádio Itatiaia por Acir Antão dia 04/03/2012.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade