Noite Ilustrada (Samba)

Cantor brasileiro

O que a Noite tem a ver com Ilustração do Verso? Atrás da capa de Revista esconde-se um moreno, negro, olhos de leopardo, rugir contento. Mineiro, de Pirapetinga, carioca, da Portela e da Volta por cima. Por baixo dos trilhos do trem um coração irmão de Pelé, confundido, arredio, ousado no drible de partir pro alto, partilhar a cintura, na curva do samba que vira a boa esperança em nó do sucesso.

“Reconhece a queda
E não desanima
Levanta, sacode a poeira
Dá a volta a por cima”

Alentando consagrações, redimindo o furor do público com a mesma humildade, igual categoria de um lorde criado nos campos de terra batida e bola quadrada que ele bem sabe arredondar, numa única e cordial matada no peito, quanto fôlego sob a lua.

“Leva meu samba
Meu mensageiro
Esse recado
Para o meu amor primeiro”

Entre cordas e manivelas puxadas ao dente, num tento só, repete o ritmo preferido da embriaguez brasileira: canta, canta, canta, no botequim da esquina, na casa da comadre, aquela conversa gostosa jogada ao pé do ouvido, ao pé da lona, do lampião, do progresso, do teu cenário preferido: a luz de estrelas que ilumina Noite Ilustrada.

Para alguns, Mário Sousa Marques Filho, mas desde o batismo de Zé Trindade, filho pródigo da inspiração.

Noite Ilustrada

Raphael Vidigal

Lido na Rádio Itatiaia por Acir Antão dia 15/04/2012.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

7 Comentários

  • Amei!!!Voz grave e samba gostoso…
    Com Cássia Eller ficou demais…
    Beijos.

    Resposta
  • Escutava NOITE ILUSTRADA, NELSON GONÇALVES, PIXINGUINHA. NOEL ROSA desde sempre. Meu pai tinha os discos, LPs na época. Gostava de ouvir bem algo aos finais de semana assando um bom churrasco, tomando sua cerveja gelada. Bons tempos! Tenho uma música na memória, pois na época eu tinha meus 6, 7 anos de idade, mas lembro muito bem de tudo. Preciso descobrir se era o NOITE ILUSTRADA quem cantava uma música que tinha um REFRÃO ASSIM:

    “E agora que o sol nasceu,
    e a lua já virou canção,
    Aplausos para o meu velho violão!”

    Quem poderia me ajudar a descobrir? Eu amava quando criança ver meu pai cantar essa música com toda a inspiração e sentimento! Era lindo de se ver. Obrigado!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade