10 Mulheres & Duplas Femininas Que Marcaram a Música Sertaneja

“naquela paisagem lá de dentro
avermelha um sol rebento
esquentando o meu cantar” Luhli & Lucina

Mulheres na música sertaneja

1 – Irmãs Castro
Maria de Jesus e Lourdes Amaral formaram, em 1938, a primeira dupla de mulheres a gravar música sertaneja no Brasil. Escondidas dos pais, elas venceram o concurso “Descobrindo Astros do Futuro” na rádio Bauru, interior de São Paulo. Já reconhecidas como as Irmãs Castro, lançaram, em 1945, o sucesso “Beijinho Doce”, composição de Nhô Pai, nome artístico de João Alves dos Santos.

2 – As Galvão
A mais longeva dupla sertaneja formada por mulheres do país estreou em 1947. Mary e Marilene foram as responsáveis por tornar clássica a música “Beijinho Doce”. Conhecidas como Irmãs Galvão, trouxeram outra novidade ao gênero pois, além de cantar, também tocavam sanfona, viola e violão. Em 2017 elas celebram 70 anos de estrada com lançamento de DVD e documentário.

3 – Hebe Camargo
Antes de se tornar uma conhecida apresentadora de TV, Hebe Camargo atuou como atriz e cantora. Em 1949, participou do filme “Quase no Céu”, de temática caipira, dirigido por Oduvaldo Vianna. No mesmo período, tornou-se amiga e fez participações em comédias de Mazzaropi. Pouco tempo depois, formou a dupla sertaneja Rosalinda e Florisbela com sua irmã Stella, mas não chegaram a gravar em disco. Segundo Hebe, o nome de cada uma na dupla nunca foi definido.

4 – Adelaide Chiozzo
Atriz, instrumentista e cantora, Adelaide Chiozzo estreou no cinema atuando ao lado do pai, Afonso Chiozzo. Já em dueto com Eliana e tocando sanfona, ela consagrou as músicas “Sabiá Lá Na Gaiola”, de Hervé Cordovil e Mário Vieira, e “Lá Vem Seu Tenório”, de Manuel Pinto e Aldari de Almeida Airão. No ano de 1950, Adelaide e Eliana regravaram a música “Beijinho Doce”.

5 – Inezita Barroso
Tida como grande defensora da música caipira e do sertanejo de raiz, Inezita Barroso recebeu o título de doutora honoris causa em folclore e arte digital pela Universidade de Lisboa. Com mais de seis décadas de carreira lançou seu primeiro 78 rotações em 1951, antes de estourar, dois anos depois, com “A Marvada Pinga”, de Cunha Jr., e “Ronda”, de Paulo Vanzolini, em que cantava e tocava violão. Apresentou durante 35 anos o programa “Viola, Minha Viola”, na TV Cultura, até falecer, em 2015, aos 90 de idade.

6 – Irmãs Celeste
Nascidas em Sacramento, interior de Minas Gerais, Diva e Geisa começaram a carreira na rádio de Uberaba. Ao mudarem-se para São Paulo ficaram conhecidas como as Irmãs Celeste, onde gravaram, em 1957, o primeiro LP, com a canção “Cantando”, de Mário Zan e Arlindo Pinto, e o rasqueado “O Trem Apitou”, da mesma dupla. Conhecidas pela afinação das vozes, fizeram sucesso com outro rasqueado, “Meu Primeiro Beijo”, de Zan e Cláudio Barros, em 1959.

7 – Luhli & Lucina
No início da década de 1970, a carioca Heloísa Borges e a matogrossense Lúcia Helena formaram a dupla Luhli e Lucina. A partir de ritmos fortemente baseados nos tambores fabricados por elas mesmas, assimilaram influências da música caipira a sons de raiz africana, da música popular brasileira e do pop internacional. Entre os maiores sucessos da dupla, desfeita em 1996, estão “Êta Nóis”, “Bugre”, “Me Rói” e “Primeira Estrela”, regravadas por Ney Matogrosso e Rolando Boldrin.

8 – Roberta Miranda
1986 foi o ano em que, pela primeira vez na história, uma cantora brasileira vendeu mais de um milhão e meio de cópias em seu disco de estreia. Roberta Miranda é, ainda hoje, a quarta na lista com mais álbuns vendidos no país, atrás apenas de Rita Lee, Xuxa e Maria Bethânia. Cantora e compositora, ao longo da carreira emplacou sucessos como “A Majestade, O Sabiá”, “Pimenta Malagueta” e “Sol da Minha Vida”.

9 – Sula Miranda
O mesmo ano de 1986 reafirmou a força da canção sertaneja protagonizada por mulheres com o lançamento do primeiro LP de Sula Miranda. A estreia solo da irmã de Gretchen apresentou ao Brasil o sucesso “Caminhoneiro do Amor”, composto por Joel Marques, e que tornou a cantora conhecida em todo o país como a “Rainha dos Caminhoneiros”. As mais de 100 mil cópias vendidas garantiram o “Disco de Ouro” ao álbum.

10 – Paula Fernandes
Embora cantasse desde a infância incentivada pelos pais em Sete Lagoas, sua cidade natal, no interior de Minas Gerais, Paula Fernandes só conheceu o sucesso em 2006, quando sua música “Ave Maria Natureza” virou tema da novela “América”, da rede Globo. Pouco depois, a consagração definitiva aconteceu ao cantar ao lado de Roberto Carlos, em 2010, no especial de fim de ano do cantor. Ao longo da carreira, ela se notabilizou por unir a vivência no interior ao romantismo das canções.

Roberta Miranda grava Os Tempos Mudaram

Raphael Vidigal

Imagens: Divulgação; e Guto Costa, respectivamente.

Publicada no jornal O Tempo em 09/07/2017.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

Comentários pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recebas as notícias da Esquina Musical direto no e-mail.

Preencha seu e-mail:

Publicidade

Quem sou eu


Raphael Vidigal

Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, atua como jornalista, letrista e escritor

Categorias

Já Curtiu ?

Amor de morte entre duas vidas

Publicidade